Jump to content

Search the Community

Showing results for tags 'empenado'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Área Comum
    • Clube Peugeot
    • Apresente-se
    • Fotos & Vídeos
    • Off-Topic
  • Área Técnica
    • Quero comprar um Peugeot!
    • Eletrônica & Elétrica
    • Tutoriais (DIY) - Faça Você Mesmo
    • Mecânica & Preparação
  • Área de Classificados
    • Venda de Produtos Oficiais do Clube Peugeot
    • Anunciantes do Clube
    • Anúncios dos Membros do Clube Peugeot

Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


AIM


MSN


Website URL


ICQ


Yahoo


Jabber


Skype


País


Cidade


Garagem

Found 2 results

  1. Verifiquei em qual área esse tópico se encaixaria e entendi ser esta a melhor seção. É uma mistura de dúvidas sobre mecânica com conselho jurídico. ------------------------------- Boa tarde a todos Era proprietário de um 206 Moonlight 07/08. Troquei no dia 22/2 meu pug por um 307 Feline 08/09 com 55.000km. Esse negócio foi feito entre particulares. Tinha umas batidinhas de leve na suspensão, um dos retrovisores elétricos fazia barulho quando fechava e tbm um dos farois embaçava com água, mas nada que fosse urgente. Já tinha planejado deixar o carro em uma oficina depois de 30 dias ($) para resolver isso e fazer uma revisão geral. Já no dia 13/3 percebi que o ar condicionado tinha parado de funcionar. Levei numa auto-elétrica, verificamos que a ventoinha tinha queimado e trocamos imediatamente. Cerca de uma semana depois, notei que a temperatura do líquido de arrefecimento chegava a 95ºC rapidamente, com o motor ligado a pouco tempo e em baixas rotações, e a ventoinha partia já em rotação alta para refrigerá-lo. A temperatura do óleo subia apenas um pouco. Nenhuma das temperaturas chegava sequer perto dos seus limites, então julguei ser um problema administrável e deixei para verificar quando fosse para a oficina. O único inconveniente era o barulho da ventoinha, pois como disse ela partida direto na velocidade máxima. Em 29/3, sexta-feira santa, peguei o carro para viajar. Com o carro a 120km/h e a ventoinha ligada - pelo fato de estar com o ar condicionado ligado - a temperatura do arrefecimento ficava em 90-95°C. Quase chegando no destino, desliguei o AC pois estava frio dentro do carro. Pouco tempo depois a temperatura do líquido começou a oscilar bastante, chegando próximo da faixa vermelha. Resolvi ligar novamente o ar condicionado para partir a ventoinha, mas não surtiu efeito e percebi que o ar não estava gelando tanto. Diminuí a velocidade e fui torcendo para conseguir chegar na cidade enquanto cuidava do ponteiro de temperatura mais do que a própria estrada. Não olhei como estava a temperatura do óleo pelo nervosismo e medo de ter que parar o carro no meio da rodovia, a noite, num carro sem seguro. Já dentro da cidade, mas ainda afastado de casa, a temperatura finalmente chegou na faixa vermelha e apareceu o temido STOP no painel, sendo que no mesmo instante parei o carro. Abri o capô e notei bastante calor naquela região, com o líquido de arrefecimetno bem acima da indicação de nível máximo, indicando sobreaquecimento. A ventoinha estava parada e não ligava mesmo acionando o ar condicionado. Com cuidado afrouxei a tampa do reservatório e o líquido começou a escoar, então fechei a tampa e resolvi esperar esfriar. Como depois de 10 minutos ele continuou quente, abri a tampa e deixei todo o líquido sair de uma vez. Conseguiu em uma lanchonete ali perto um balde cheio de água de torneira, que despejei no reservatório até a indicação de nível máximo e esperei esfriar mais um pouco. O painel indicou menos de 90°C no líquido depois de uns 20 minutos. Resolvi tentar chegar em casa para levar na oficina no dia seguinte. Liguei o carro, andei uma quadra e lá foi o ponteiro pra faixa vermelha de novo, seguido de STOP no painel. Telefonei logo para um guincho, que por ser sexta-feira, à noite, em um feriado prolongado, já me avisou que iria cobrar R$120,00 por um percurso de 10 minutos. No trajeto a temperatura caiu e consegui estacionar o carro na garagem de casa. No sábado pela manhã peguei o 307 e fui atrás de uma auto-elétrica pra verificar a ventoinha, mas não encontrei NENHUMA aberta ao redor e nesse meio tempo a temperatura subiu novamente. Parei antes de chegar no limite e aparecer STOP. Deixei esfriar e voltei pra casa com o carro desligado na maior parte do caminho, já que é uma descida em comparação a onde estava. Tive que voltar de ônibus e pedi para o meu pai levar em uma oficina especializada em Peugeot aqui da cidade na segunda-feira. Constatações: - a ventoinha havia queimado novamente. - a bomba d'água tinha sinais de desgaste acentuado. - a parte inferior do radiador estava fria em relação a parte superior. - a junta do cabeçote estava queimada. - o cabeçote estava empenado. Total do orçamento: R$2.500,00. Contei toda a história para o dono da oficina e perguntei se é possível o cabeçote ter empenado nesses 40 dias comigo. Ele disse ser pouquíssimo provável. Segundo ele, a temperatura subia pelo problema na bomba d'água e entupimento do radiador, que desencadeou o empenamento do cabeçote, que por sua vez forçou a ventoinha a rodar sempre no máximo. Como foram duas semanas assim, mesmo tendo usado pouquíssimo o carro, o esforço pode ter feito a ventoinha nova queimar. Resumindo, muito provavelmente o carro veio com problemas. Essa é a opinião dele. Agora as perguntas: 1 - Vocês concordam com a teoria acima ou acham que foi a ventoinha nova a responsável pelo empenamento? 2 - Caso seja mesmo a bomba d'água, tenho direito a pedir que o antigo dono arque com essas despesas? Pesquisei bastante sobre o 307 antes de comprar. Já sabia dos problemas com a transmissão automática, e só vim a saber do também crônico caso das juntas de cabeçote da pior maneira possível. É uma pena isso ter acontecido, pois estava apaixonado pelo meu carrinho. Um parente possui um Palio com literalmente o dobro da quilometragem que nunca deu qualquer tipo de problema, somente trocou peças por fim de vida útil. E estamos falando de um popular, teoricamente mais frágil. É o segundo carro que compro com meu suor e trabalho, o segundo Peugeot, e o segundo que me dá problemas. Não quero desistir da marca, mas está ficando difícil. Abraços e obrigado desde já
  2. Fala pessoal, blz? Seguinte, estava com os discos de freio do meu carro empenados e após dar um "passe" neles, percebi que eles estão empenando novamente. Alguém tem uma idéia do que pode ser? Não sei se interfere em alguma coisa, mas já foi trocada a homocinética e o rolamento dele. Valeu.
×