Jump to content

Search the Community

Showing results for tags 'garantia'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Área Comum
    • Clube Peugeot
    • Apresente-se
    • Fotos & Vídeos
    • Off-Topic
  • Área Técnica
    • Quero comprar um Peugeot!
    • Eletrônica & Elétrica
    • Tutoriais (DIY) - Faça Você Mesmo
    • Mecânica & Preparação
  • Área de Classificados
    • Venda de Produtos Oficiais do Clube Peugeot
    • Anunciantes do Clube
    • Anúncios dos Membros do Clube Peugeot

Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


AIM


MSN


Website URL


ICQ


Yahoo


Jabber


Skype


País


Cidade


Garagem

Found 5 results

  1. encardim

    Revisões Do 208

    Prezados, resolvi criar este tópico para juntar as informações a respeito das revisões do 208. Hoje internei o meu 208 1.5 Allure 13/14 na Le Mans de Campinas, para fazer a revisão dos 40.000KM. O carro está com 37.200km. Para minha decepção, notei que o pós-venda da PSA continua mesma coisa, mesmo com a unificação das concessionárias. Houve dúvida nos itens que deveriam ser substituídos no pacote de revisão. A CCS Citröen me sugeriu uma revisão básica por R$ 675,00 (mesmo valor constante do site da Peugeot - troca de óleo, filtros de óleo, cabine, ar e checagens no geral), embora tenham incluído nela a troca das velas de ignição, que não constam no site como item de troca obrigatória aos 40.000KM. Como considero necessária a substituição das velas nessa quilometragem, não reclamei da oferta da Concessionária. Pelo contrário, achei a proposta bem interessante. Estranhamente, os Peugeot 208 1.5 e 1.6 são os únicos da marca com troca do item na revisão dos 50k, de acordo com o site da montadora. O problema surgiu quando questionei a respeito da revisão recomendada pela Peugeot. Segundo o site da marca, por de 6 x R$ 186,00, consigo fazer os itens básicos de revisão, além da troca do fluido de freio, alinhamento e balanceamento, substituição das palhetas, lubrificação e oxi-sanitização (Os itens em negrito são os que eu queria obrigatoriamente fazer, por não considera-los empurroterapia nessa revisão. Nunca troquei as palhetas e o último alinhamento foi feito há 6 meses. O fluído de freio é o original, ainda). O gerente da concessionária disse que desconhecia o pacote. A revisão recomendada pela Concessionária oferece alguns itens que considero inúteis, como a lubrificação de fechaduras e dobradiças, limpeza de bicos injetores via tanque (ou seja, metem o Bardahl), etc. Ou seja, desconsideraram a substituição das palhetas e do fluído de freios, no mínimo. Abrimos o site da Peugeot e, "generosamente", depois de algum debate, aceitaram fazer a revisão básica (a de R$ 675,00), a troca do fluído de freios e a substituição das palhetas por 6 x 186,00 (R$ 1.116,00). Negócio da China, não?? Logicamente, refutei a proposta. Aceitei a revisão básica (com a troca das velas) e acertei a troca de fluído do freio e alinhamento fora do pacote, totalizando R$ 948,00. Pego hoje a tarde o PUG. Vamos ver como será o serviço. Para a Peugeot, fica a dica: Que tal incluir serviços necessários de manutenção preventiva nas revisões recomendadas (Troca de correias, especialmente!)? Que tal fiscalizar se os pacotes oferecidos pelas concessionárias são iguais aos que constam no site da montadora? Lamentável.
  2. Fonte: http://www.estadao.com.br/jornal-do-carro/noticias/servicos,207-de-leitor-com-problemas-na-suspensao,20519,0.htm 13.08.2014 - 11:00 207 de leitor com problemas na suspensãoPeugeot se recusou a consertar defeitos ocorridos com pouco tempo de uso Levei meu 207 para a revisão dos 20 mil km e quiseram cobrar R$ 6.500 para trocar os braços da direção, coxins, bandeja, alternador e pastilhas de freio, entre outros itens. Não aceitei e fui a duas outras oficinas, que deram o mesmo diagnóstico. Depois disso o modelo sofreu uma pane na estrada. Não posso aceitar que um carro tão novo tenha tantos problemas. Os consultores da Peugeot dizem que a plataforma do 207 foi desenhada para a França e a suspensão sofre por ser baixa e pouco flexível. Arquivo Pessoal Anderson Rodrigues, CAPITAL Peugeot responde: a garantia, para troca de peças defeituosas, venceu em outubro de 2013. Há itens que sofrem desgaste natural, não coberto pela garantia. O leitor diz que não acha normal um carro de uso familiar ter desgaste precoce de tantas peças, com reparos que custam 20% de seu valor de tabela. Advogado: a empresa só pode se isentar de fazer os reparos sem ônus se provar que as peças chegaram ao fim da vida útil ou o cliente foi o causador direto do defeito.
  3. Boa Tarde pessoal, comprei meu 308 semana passada.. ele vai ficar pronto na semana que vem.. já liguei na CSS e perguntei sobre a alteração das lâmpadas, eu queria colocar super branca em cima e xenon 4300k no farol de milha, um eletricista da CSS falou que eles da CSS não fazem esse tipo de instalação e se eu colocar o xenon vou perder a garantia de toda a parte elétrica do carro.. essa informação procede? mesmo se o xenon tiver as mesmas especificações da lâmpada do farol de milha, que no caso é h8 35w? Obrigado pela atenção! abraços
  4. Verifiquei em qual área esse tópico se encaixaria e entendi ser esta a melhor seção. É uma mistura de dúvidas sobre mecânica com conselho jurídico. ------------------------------- Boa tarde a todos Era proprietário de um 206 Moonlight 07/08. Troquei no dia 22/2 meu pug por um 307 Feline 08/09 com 55.000km. Esse negócio foi feito entre particulares. Tinha umas batidinhas de leve na suspensão, um dos retrovisores elétricos fazia barulho quando fechava e tbm um dos farois embaçava com água, mas nada que fosse urgente. Já tinha planejado deixar o carro em uma oficina depois de 30 dias ($) para resolver isso e fazer uma revisão geral. Já no dia 13/3 percebi que o ar condicionado tinha parado de funcionar. Levei numa auto-elétrica, verificamos que a ventoinha tinha queimado e trocamos imediatamente. Cerca de uma semana depois, notei que a temperatura do líquido de arrefecimento chegava a 95ºC rapidamente, com o motor ligado a pouco tempo e em baixas rotações, e a ventoinha partia já em rotação alta para refrigerá-lo. A temperatura do óleo subia apenas um pouco. Nenhuma das temperaturas chegava sequer perto dos seus limites, então julguei ser um problema administrável e deixei para verificar quando fosse para a oficina. O único inconveniente era o barulho da ventoinha, pois como disse ela partida direto na velocidade máxima. Em 29/3, sexta-feira santa, peguei o carro para viajar. Com o carro a 120km/h e a ventoinha ligada - pelo fato de estar com o ar condicionado ligado - a temperatura do arrefecimento ficava em 90-95°C. Quase chegando no destino, desliguei o AC pois estava frio dentro do carro. Pouco tempo depois a temperatura do líquido começou a oscilar bastante, chegando próximo da faixa vermelha. Resolvi ligar novamente o ar condicionado para partir a ventoinha, mas não surtiu efeito e percebi que o ar não estava gelando tanto. Diminuí a velocidade e fui torcendo para conseguir chegar na cidade enquanto cuidava do ponteiro de temperatura mais do que a própria estrada. Não olhei como estava a temperatura do óleo pelo nervosismo e medo de ter que parar o carro no meio da rodovia, a noite, num carro sem seguro. Já dentro da cidade, mas ainda afastado de casa, a temperatura finalmente chegou na faixa vermelha e apareceu o temido STOP no painel, sendo que no mesmo instante parei o carro. Abri o capô e notei bastante calor naquela região, com o líquido de arrefecimetno bem acima da indicação de nível máximo, indicando sobreaquecimento. A ventoinha estava parada e não ligava mesmo acionando o ar condicionado. Com cuidado afrouxei a tampa do reservatório e o líquido começou a escoar, então fechei a tampa e resolvi esperar esfriar. Como depois de 10 minutos ele continuou quente, abri a tampa e deixei todo o líquido sair de uma vez. Conseguiu em uma lanchonete ali perto um balde cheio de água de torneira, que despejei no reservatório até a indicação de nível máximo e esperei esfriar mais um pouco. O painel indicou menos de 90°C no líquido depois de uns 20 minutos. Resolvi tentar chegar em casa para levar na oficina no dia seguinte. Liguei o carro, andei uma quadra e lá foi o ponteiro pra faixa vermelha de novo, seguido de STOP no painel. Telefonei logo para um guincho, que por ser sexta-feira, à noite, em um feriado prolongado, já me avisou que iria cobrar R$120,00 por um percurso de 10 minutos. No trajeto a temperatura caiu e consegui estacionar o carro na garagem de casa. No sábado pela manhã peguei o 307 e fui atrás de uma auto-elétrica pra verificar a ventoinha, mas não encontrei NENHUMA aberta ao redor e nesse meio tempo a temperatura subiu novamente. Parei antes de chegar no limite e aparecer STOP. Deixei esfriar e voltei pra casa com o carro desligado na maior parte do caminho, já que é uma descida em comparação a onde estava. Tive que voltar de ônibus e pedi para o meu pai levar em uma oficina especializada em Peugeot aqui da cidade na segunda-feira. Constatações: - a ventoinha havia queimado novamente. - a bomba d'água tinha sinais de desgaste acentuado. - a parte inferior do radiador estava fria em relação a parte superior. - a junta do cabeçote estava queimada. - o cabeçote estava empenado. Total do orçamento: R$2.500,00. Contei toda a história para o dono da oficina e perguntei se é possível o cabeçote ter empenado nesses 40 dias comigo. Ele disse ser pouquíssimo provável. Segundo ele, a temperatura subia pelo problema na bomba d'água e entupimento do radiador, que desencadeou o empenamento do cabeçote, que por sua vez forçou a ventoinha a rodar sempre no máximo. Como foram duas semanas assim, mesmo tendo usado pouquíssimo o carro, o esforço pode ter feito a ventoinha nova queimar. Resumindo, muito provavelmente o carro veio com problemas. Essa é a opinião dele. Agora as perguntas: 1 - Vocês concordam com a teoria acima ou acham que foi a ventoinha nova a responsável pelo empenamento? 2 - Caso seja mesmo a bomba d'água, tenho direito a pedir que o antigo dono arque com essas despesas? Pesquisei bastante sobre o 307 antes de comprar. Já sabia dos problemas com a transmissão automática, e só vim a saber do também crônico caso das juntas de cabeçote da pior maneira possível. É uma pena isso ter acontecido, pois estava apaixonado pelo meu carrinho. Um parente possui um Palio com literalmente o dobro da quilometragem que nunca deu qualquer tipo de problema, somente trocou peças por fim de vida útil. E estamos falando de um popular, teoricamente mais frágil. É o segundo carro que compro com meu suor e trabalho, o segundo Peugeot, e o segundo que me dá problemas. Não quero desistir da marca, mas está ficando difícil. Abraços e obrigado desde já
  5. c-luiz

    Película X Fumê X Garantia

    Olá, meu carro é novo e tive uma dúvida na hora de colocar um revestimento. Como ia na concessionária, aproveitei para tirar a dúvida e ver o preço, e se perdia a garantia se colocasse em outro local. O funcionário me disse que não colocava "Revestimento Fumê", pois só colocava "Película"...perguntei a diferença e ele disse que Fumê recebe a pigmentação depois, o que faz mudar de cor, perder cor, etc. Já película é produzida na cor certa e não perde a coloração, pois não é pigmentada na última camada e sim fabricada no todo na cor certa. Isso procede? nunca tinha ouvido falar nisso... Com relação a garantia, ele me disse que se colocar em outro local e desmontarem algo para colocar e ficar batendo/com barulhos devido a isso, pode perder a garantia. Com relação a preço, lá é mais de R$300,00, se for por fora tem até de R$60,00, sendo que de qualidade e local de referência com garantia de 2 anos tem por R$120,00. Vocês sabem dizer se existe a diferença citada? e se tem perigo de perder garantia por causa da colocação de um revestimento? valeu!!!
×