Jump to content

Search the Community

Showing results for tags 'violencia urbana compra carro'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Área Comum
    • Clube Peugeot
    • Apresente-se
    • Fotos & Vídeos
    • Off-Topic
  • Área Técnica
    • Quero comprar um Peugeot!
    • Eletrônica & Elétrica
    • Tutoriais (DIY) - Faça Você Mesmo
    • Mecânica & Preparação
  • Área de Classificados
    • Venda de Produtos Oficiais do Clube Peugeot
    • Anunciantes do Clube
    • Anúncios dos Membros do Clube Peugeot

Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


AIM


MSN


Website URL


ICQ


Yahoo


Jabber


Skype


País


Cidade


Garagem

Found 1 result

  1. Caros colegas, Como todo apaixonado por carro, eu fico obsessivamente vasculhando ofertas em sites de venda de veículos na internet, sempre comparando que outro tipo de carro eu poderia estar dirigindo pelo mesmo valor que gastei para adquirir/incrementar (mods) o meu carro atual. E, eis que percebo, cada vez mais, ofertas tentadoras de carros de segmento "premium importados" (leia-se: BMW, Audi, Mercedes, Land Rover, Volvo, etc.), com preços bem tentadores, sendo equivalentes em valor de compra a carros "nacionais" de mesma categoria em termos de tamanho (308 x A3, Fusion x 320i, etc.). Fato que esses carros premium são um pouco mais rodados e mais velhos que os equivalentes "nacionais" em termos de preço - porém, ocasionalmente se encontram umas "moscas brancas"! Tudo bem, sabemos que carro não é apenas "comprar", tem que ser levado em consideração, também, "manter" o automóvel, principalmente preço de peças, mão de obra especializada (mesmo fora de concessionárias oficiais) e seguro contra roubo/terceiros. Contudo, sempre me pego questionando o seguinte: se o meu orçamento mensal permitisse "comprar e manter" um carro da categoria "premium", por que eu não o faço? Por que eu sempre escolho a opção "nacional" equivalente em preço de compra? Fiquei refletindo sobre isto, outro dia, e vejo que grande parte da minha decisão por carros "nacionais" seria o fator "violência urbana"! O medo de, ao possuir um carro mais vistoso e conhecido por ser dirigido por pessoas de classe econômica superior (hoje, qualquer marginal de esquina sabe identificar o símbolo de uma BMW, Audi, Mercedes, etc.), ser mais visado para atos de violência, tais como assaltos, sequestros-relâmpagos ou, na tragédia suprema, até mesmo latrocínio. Fico impressionado como a "cultura do medo" impera no nosso país e contamina as nossas escolhas mais triviais! Paradoxalmente, vejo, ao meu redor (ao menos, aqui na minha cidade), cada vez mais carros de segmento de luxo rodando, e fico pasmo e questionador: "será que apenas eu que sou absolutamente neurótico com a violência urbana brasileira"? "Será que essas pessoas que rodam em BMWs novíssimas, peruas que rodam em Land Rovers vistosas, não sentem o mesmo medo que eu"? Gostaria de abrir discussão neste tópico sobre este assunto: como a violência urbana brasileira afeta sua escolha de automóvel? Vocês já deixaram de comprar um carro de luxo/premium, mesmo tendo condições financeiras folgadas para isto, por puro e simples medo de sofrer um trauma psicológico permanente, ou até mesmo físico, decorrente de um ato de violência? Em qual grupo de pessoas você se encaixaria: Grupo 1: "se eu tivesse condições financeiras de comprar e manter um carro premium, eu o compraria sem medo de ser feliz, pois a vida é curta e pode ser que eu nunca seja assaltado/sequestrado até eu chegar nos meus 80 anos de idade, e então eu ficaria com remorso de não ter tido o prazer de guiar uma dessas belas máquinas!" Grupo 2: "mesmo com condições de comprar e manter um carro premium, a minha integridade física e mental é o meu maior bem, e eu prefiro não me arriscar nas ruas brasileiras, me restringindo de possuir um carro que me traria grande prazer de guiar". Podem opinar à vontade, pessoal! Gostaria de ouvir opiniões desde pessoas que vivam em cidades de 20 mil habitantes até megalópoles de milhões de habitantes! Vale também relatar casos de amigos e parentes, ok! Abraços! Dantelles
×