Jump to content
Sign in to follow this  
carlosgreg

Relato De Trambique Na Gasolina

Recommended Posts

Bom vou contar uma situação curiosa que aconteceu sábado passado.

Eu tinha no carro um quarto de gasolina e estava indo pra casa da minha namorada, 70 km de distância, ai fui no posto abastecer, pedi pra colocar 20 reais de gasolina, com a gasolina a 3,20 deu 6 litros e pouquinho, paguei e tal, ai quando fui dar partida no carro notei que o ponteiro estava no mesmo lugar, eu comentei com o frentista e tal, ai ele me mostrou na bomba que tinha abastecido os 6 litros, eu vi o cara abastecendo inclusive, ele disse então que o ponteiro de combustível do carro estava travado.. como eu tinha acabado de buscar o carro no mecânico acreditei e fui embora, no caminho eu vejo o ponteiro descendo, cheguei na minha namorada com a luz acesa da reserva.. ai na volta fui em outro posto abasteci 30 reais e o ponteiro foi quase lá no meio kkkk, ou seja galera ou colocaram ar no meu tanque, ou água sei la, além disso o carro engasgou pra porra... Meu eu fiquei muito revoltado, voltei no posto meia noite e pouco mas nada consegui, fizeram um teste na bomba e etc e me disseram pra falar com o gerente mas ele não estava lá... Como é que pode uma coisa dessas? Rede Ipiranga na frente de um shopping.. e conversando com uma galera um rapaz disse que aconteceu a mesma coisa nesse posto... é o fim da picada... fiquem em alerta galera.. eu queria denunciar, sei la fazer alguma coisa, mas da até medo dessa bandidagem.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Passa o ponto no mapa pra gente aqui, ou pelo menos de q cidade q é. Absurdo mesmo, esse é um dos motivos q eu saio do carro e olho o cara abastecendo bem de perto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Já aconteceu isso comigo 2x. Eu não sei se é picaretagem do posto ou alguma falha na bomba de combustível que não enxerga a pouca quantidade de gasolina direito, pq eu também abasteci R$ 20,00.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu sempre coloco 20 reais, se fosse a bomba não dava reserva.. O posto fica em guarulhos, na frente do shopping Bonsucesso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

gente posso ta falando besteira mas desde o meu primeiro 206 eu notei problemas com o ponteiro de combustível do carro.... Ate de amigos meus.

Eu abasteco 20/25 reais todos os dias (empresa paga) porem se o carro estiver com 1/4 ou um pouco menos...geralmente esse erro acontece o ponteiro nem se muda de lugar... E bo próximo dia quando abasteco ele acaba alterando..... Agora se o ponteiro estiver acima de 1/4 e abastecer esse "erro" nunca aconteceu....ele sempre muda de ligar.....por isso eu nunca reclamei com o posto...tenho quase certeza q isso é um problema do 206

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não vejo trambique nenhum.

6 litros são quase nada num tanque com a capacidade para 45 litros.

Sua boia pode ter travado temporariamente ou seu sistema pode não ter reconhecido tão pouco combustível, igual quando numa ladeira nem sempre o sistema altera o nível do marcador mesmo a boia estando diferente do nível no plano.

Se fizeram a aferição da bomba na sua frente e marcou a quantidade correta no aferidor o problema não foi da bomba; tanto é que quando vc colocou mais combustível ai o sistema reconheceu uma quantia maior do que colocou("reconheceu os dois abastecimentos").

A única coisa que intriga é o fato do carro ter falhado durante o trajeto, ai sim pode ser questão de má qualidade do combustível.

  • Upvote 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

como eu disse eu sempre coloco 6 litros cara, e o ponteiro sobe,colocando 6 litros eu vou e volto sem acender a luz da reserva, dessa vez o ponteiro nem mecheu e chegando lá já chegou a reserva.

Edited by carlosgreg

Share this post


Link to post
Share on other sites

já aconteceu isso comigo mais foi problema na boia mesmo, abasteci 20 reais e se passou um tempo e apitou reserva mais tinha gasolina no tanque, no outro dia abasteci 30 reais e foi pra meio tanque o ponteiro, isso é um problema que pode ocorrer com a boia como o alaster relatou.

Share this post


Link to post
Share on other sites

exatamente como disseram...eu abasteco 6 litro todo santo dia..direto acontece isso...ele acende a reserva e no dia seguinte com o novo abastecimento ele sobe o ponteiro com a gasolina nova...mais o do dia anterior q nao tinha sido calculado

Share this post


Link to post
Share on other sites

exatamente como disseram...eu abasteco 6 litro todo santo dia..direto acontece isso...ele acende a reserva e no dia seguinte com o novo abastecimento ele sobe o ponteiro com a gasolina nova...mais o do dia anterior q nao tinha sido calculado

exatamente o que ocorreu cmg, é um problema de leitura mesmo

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hum..então ker dizer q o ponteiro ia zerar e não ia acabar? Ainda tenho duvidas sobre isso, sera que o carro falhou tanto por problemas na bomba de gasolina?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu acho que eh normal. Quando comprei meu 407 ele tava na reserva fazia uns 6 meses.

O lojista apenas colocava um tantinho de gasolina e o carro ficava la pra test drive.

Quando eu fui fazer um test drive coloquei R$ 30 de gasolina e falei que queria dar uma volta maior, esticar todas as marchas e tal.

A porra do ponteiro marcador de combustivel nao se mexeu.

Mentalmente eu pensei comigo mesmo: Trocar o conjunto sensor - bomba de combustivel apos comprar o carro e ja adicionei R$ 2000 no "preco" do carro para decidir se comprava ou nao.

E nao eh que depois que eu comprei o carro e enchi o tanque o problema sumiu. E nunca mais aconteceu.

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hum..então ker dizer q o ponteiro ia zerar e não ia acabar? Ainda tenho duvidas sobre isso, sera que o carro falhou tanto por problemas na bomba de gasolina?

Sim, o ponteiro ia zerar e voce ainda teria gasolina...fiz esse teste na seaman passada, o meu baixou tudo...o cb ja nao lia mais nada, e ainda andei ate o proximo dia ate abastecer denovo.

E no momento aconteceu isso hoje, estava com 1/4 abasteci e ele continua em 1/4, amanha colocarei mais 6L e vai subir um pco mais.

No carro de um amigo, ele tinha meio tanque....ao ligar o carro o ponteiro nem se quer andou, ele achou que tinha quebrado, falei pra ele ir na bomba, colocar 15/20 reais, ele fez isso e ao ligar denovo o ponteiro voltou ao normal.

quanto ao carro falhar pode ser combustivel zuado, bomba, ou outros fatores. vc foi ao posto de costume, ou dessa vez abasteceu em algum outro

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Primeiro não existe trambique nenhum, 6 litros não vai alterar ponteiro de carro nenhum... nem de um smart.

 

Segundo que, CONFORME O DISPOSTO NO MANUAL DO VEÍCULO, não se deve abastecer menos de 8 litros., para não danificar o sensor de nível do tanque.

Todas as vezes que se coloca menos de 8 litros no tanque, a aferição é incorreta.

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Blz então exclua, bloqueie, de como encerrado o tópico, faca como preferir, so quis alertar a galera,nao sei de tudo sobre o carro, n ia imaginar que isso seria problema no carro

Edited by carlosgreg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Blz então exclua, bloqueie, de como encerrado o tópico, faca como preferir, so quis alertar a galera,nao sei de tudo sobre o carro, n ia imaginar que isso seria problema no carro

Calma, cara acho que o andrey não quis ser grosseiro, fórum é pra isso mesmo, discussão, trocar ideias, experiências...

 

Eu mesmo não sabia dessa parada de ser bom colocar mais de 8 litros, meu manual nem fala isso...

Edited by Peter Sharp

Share this post


Link to post
Share on other sites

O ponteiro pode até não subir, mas não acho q desceria até a reserva se tivesse 6L a mais de verdade. No meu a reserva é bem precisa, quando acende é pq tem menos de 5L no carro - já cheguei no posto com 800ml de combustível um dia, entrou 59.2L, impressionante.

 

Nunca mais deixei isso acontecer, foi só uma vez q não consegui abastecer na hora certa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vou relatar o que ocorria comigo...

 

Tenho um 206 ano 2007 feline, ele marcava normal, mesmo colocando 20 conto de etanol, marcava tranquilo, uns tempos parou, acontecia a mesma coisa que vcs, colocava 20,00 não alterava o nível, se eu colocasse mais 20 depois subia normal.

 

Troquei o sensor de nível, paguei 37,00 reais aqui em Curitiba.

Esta perfeito, fiz o teste quando instalei, estava na reserva e coloquei 10,00 mexeu um pouco, ai coloquei 50,00 marcou normal.

 

Troque o sensor e fim de papo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Calma, cara acho que o andrey não quis ser grosseiro, fórum é pra isso mesmo, discussão, trocar ideias, experiências...

 

Eu mesmo não sabia dessa parada de ser bom colocar mais de 8 litros, meu manual nem fala isso...

 

Exato peter.

 

Minha intenção em usar o CAPS LOCK foi dar destaque para o mais importante.

 

E peter, tem no seu manual sim brother... Pode procurar direitinho que tem hahahahah

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom, vou falar o que acontece comigo, se servir pra alguma coisa:

 

Se meu 206 está na reserva e eu coloco "vintão", ele não sai da reserva.

Se eu coloco "trintão", ele sai da reserva e sobe legal (bem mais de 1/4).

 

Pelo menos aqui no meu caso, não dá pra confiar totalmente no ponteiro.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom, vou falar o que acontece comigo, se servir pra alguma coisa:

 

Se meu 206 está na reserva e eu coloco "vintão", ele não sai da reserva.

Se eu coloco "trintão", ele sai da reserva e sobe legal (bem mais de 1/4).

 

Pelo menos aqui no meu caso, não dá pra confiar totalmente no ponteiro.

Como citei acima, o meu começou assim, depois nem com 30,00 nem com 50,00 ele nao saia da reserva, so abrindo o tanque e fazendo a reprogramação da bomba ai voltava a marcar normal.

Porem se eu deixava baixar muito depois que apitava a reserva ele travava de novo e lá ia eu abrir o tanque e reprogramar.

 

Troquei e agora esta 100%...

 

OBS... Faz todo sentido o manual alertar em não colocar menos de 8 litros, eu sempre colocava 50 conto, porem como não utilizo muito o carro não fazia sentido gastar e deixar evaporando o combustível, uso o carro nos finais de semana, por semana eu ando incríveis 40km n máximo.

 

Depois colocava só 20tão, e justo depois de começar abastecer a quantia menor que o problema apareceu e foi se agravando com o tempo.

Edited by Eduardo Labegalini

Share this post


Link to post
Share on other sites

Já aconteceu a mesma coisa comigo, em um posto Shell. Vou colocar abaixo o teor da petição que fiz para ajuizar no JEC:

 

"O Autor, em 05.10.2013, por volta das 18h, foi abastecer o seu veículo no Posto de Combustível da Ré (Estrada do Monteiro, nº 1.697, Campo Grande, RJ), pois estava com o tanque vazio, na reserva, contudo, não esperava que algo inusitado e de extrema gravidade fosse acontecer, como poderemos constatar adiante.
Inicialmente, é de suma importância mostrar uma notícia veiculada na mídia, sobre fraude nas bombas de combustível, em várias partes do país, conforme vemos na imagem abaixo.
Pois bem, esta é uma notícia que foi veiculada em vários canais de comunicação, cujo sistema de fraude, com acionamento eletrônico, faz a leitura da quantidade de combustível fornecida no mostrador em desconformidade com a quantidade de combustível efetivamente entregue.
Dando continuidade aos fatos, o Autor, ao chegar no Posto de Combustível da Ré, foi recepcionado por uma frentista, contudo, sem entender o motivo, outro frentista, de jaleco branco, pediu para a sua colega de trabalho ir atender outro cliente, dizendo que faria o abastecimento do veículo do Autor.
Mostrando-se muito solícito, o frentista, de jaleco branco, pediu para que o Autor levantasse os vidros, pois iria jogar uma água no veículo, enquanto abastecia o tanque de combustível com o valor solicitado, qual seja, R$ 50,00.
Feito o abastecimento, o Autor realizou o pagamento no valor de R$ 50,00, conforme documento abaixo.
O Autor, retornando ao veículo, ao virar a chave, teve uma surpresa, constatou que o medidor de combustível do seu veículo estava marcando a mesma quantidade de quando chegou ao Posto, ou seja, estava na reserva.
Estranhando a marcação, pois nunca havia ocorrido isso, o Autor chamou o frentista, de jaleco branco, informando que seu veículo não havia sido abastecido.
Surpreso e aparentando certa apreensão com o informado pelo Autor, o frentista, de jaleco branco, imediatamente chamou outro funcionário do Posto, cujo nome é Omar, que trabalha no setor de Administração do Posto.
O Autor explicou o ocorrido ao funcionário Omar e, para sua surpresa, sem nem mesmo conhecer as condições do veículo, este funcionário emitiu um “parecer” de que havia um problema na bóia de combustível do veículo do Autor.
Muito surpreso com a resposta, o Autor, de imediato, informou que isso nunca havia ocorrido em seu veículo, e que provavelmente o problema não era esse apontado, mas sim na bomba de combustível do Posto.
O funcionário Omar, vendo que o Autor não era tão fácil de enrolar, foi chamar o provável gerente do Posto, cujo nome é Sérgio.
Novamente, o Autor explicou o ocorrido, contudo, esse tal Sérgio começou a se mostrar dono do local, querendo impor o seu pensamento e juízo próprio, tentando dominar a situação.
O Autor, ao perceber tal situação, pediu para que fosse abastecido o seu veículo em outra bomba de combustível do Posto, sendo inicialmente recusado pelos prepostos da Ré.
Para mais uma surpresa do Autor, os prepostos da Ré resolveram sacudir o seu veículo, pois alegavam que, fazendo isso, a bóia iria voltar para o lugar e o medidor iria marcar na posição correta, uma verdadeira vergonha, um absurdo.
Frise-se, Exa., que estes acontecimentos estavam ocorrendo na presença de outros funcionários do Posto, além de outros clientes presentes.
Após isso, o Autor pediu, novamente, para que abastecesse o veículo com mais R$ 30,00 de combustível, no entanto, o “gerente” do Posto, Sérgio, pediu para que o Autor não ficasse perto da bomba, que permanecesse olhando, tão somente, o medidor, enquanto o frentista, de jaleco branco, abastecia o veículo.
A partir daí, o Autor, que já suspeitava de que estava sendo ludibriado, começou a ter certeza.
Mais uma vez, o medidor de combustível não saiu do lugar, permanecendo inalterado, do jeito como chegou no Posto de Combustível da Ré, motivo pelo qual o Autor não efetuou o pagamento dos R$ 30,00.
Transtornado com a situação, o Autor tomou a decisão de ir a outro posto de combustível para realizar o abastecimento e constatar se, de fato, seu medidor estava marcando ou não a entrada de combustível no veículo, todavia, para total surpresa do Autor, o “gerente” Sérgio determinou que o autor não fosse abastecer em outro posto.
Em tal momento de todo esse imbróglio, o “gerente” Sérgio deu a garantia de que o veículo estava abastecido, ironizando que o Autor só ficaria na rua se fosse até São Paulo, chegando a devolver, inclusive, o valor de R$ 50,00 que o Autor havia desembolsado.
Apesar de toda a tentativa do “gerente” Sérgio, o Autor se dirigiu, no mesmo dia, a outro posto de combustível (Ipiranga), localizado na Rua Augusto de Vasconcelos, nº 1.290, Campo Grande, RJ, fazendo vir à tona o que já era óbvio, não havia problema algum com o medidor de combustível de seu veículo, conforme vemos abaixo.
Na imagem a seguir, temos a nota fiscal do posto de combustível Ipiranga, com a mesma data do dia do ocorrido, no valor de R$ 30,00.
Após o efetivo abastecimento, realizado no posto Ipiranga, o Autor retornou ao Posto de Combustível da Ré, esperando alguma resposta sincera, de arrependimento dos prepostos da Ré, contudo, a “cara de pau” destes indivíduos continuou a mesma, chegando, inclusive, a oferecer ao Autor que fosse completado o tanque, tendo sido prontamente recusado pelo Autor.
Insta informar, ainda, que o Autor efetuou uma denúncia junto a Agência Nacional de Petróleo (ANP), registrada sob o protocolo de nº 157667.
Por fim, esclarece o Autor que tem todo o ocorrido gravado em mídia, que segue em anexo, e roga a V. Exa. que ouça o contido na gravação, para que forme a convicção do Juízo, pois tal conduta merece total represália do Judiciário e das entidades competentes de fiscalização."
RESUMO DE TUDO:
Como eu abasteci R$ 80,00, com meu carro na reserva e, logo após, coloquei mais R$ 30,00 no outro posto próximo, e o ponteiro ficou abaixo da metade do medidor de combustível, posso dizer com certeza absoluta que era fraude.
Sendo assim, fiquem de olhos abertos, pq isso tá virando rotina nos postos de combustível.
Abraço!
Edited by wanderpc82
  • Upvote 1
  • Downvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Já aconteceu a mesma coisa comigo, em um posto Shell. Vou colocar abaixo o teor da petição que fiz para ajuizar no JEC:

 

"O Autor, em 05.10.2013, por volta das 18h, foi abastecer o seu veículo no Posto de Combustível da Ré (Estrada do Monteiro, nº 1.697, Campo Grande, RJ), pois estava com o tanque vazio, na reserva, contudo, não esperava que algo inusitado e de extrema gravidade fosse acontecer, como poderemos constatar adiante.
Inicialmente, é de suma importância mostrar uma notícia veiculada na mídia, sobre fraude nas bombas de combustível, em várias partes do país, conforme vemos na imagem abaixo.
Pois bem, esta é uma notícia que foi veiculada em vários canais de comunicação, cujo sistema de fraude, com acionamento eletrônico, faz a leitura da quantidade de combustível fornecida no mostrador em desconformidade com a quantidade de combustível efetivamente entregue.
Dando continuidade aos fatos, o Autor, ao chegar no Posto de Combustível da Ré, foi recepcionado por uma frentista, contudo, sem entender o motivo, outro frentista, de jaleco branco, pediu para a sua colega de trabalho ir atender outro cliente, dizendo que faria o abastecimento do veículo do Autor.
Mostrando-se muito solícito, o frentista, de jaleco branco, pediu para que o Autor levantasse os vidros, pois iria jogar uma água no veículo, enquanto abastecia o tanque de combustível com o valor solicitado, qual seja, R$ 50,00.
Feito o abastecimento, o Autor realizou o pagamento no valor de R$ 50,00, conforme documento abaixo.
O Autor, retornando ao veículo, ao virar a chave, teve uma surpresa, constatou que o medidor de combustível do seu veículo estava marcando a mesma quantidade de quando chegou ao Posto, ou seja, estava na reserva.
Estranhando a marcação, pois nunca havia ocorrido isso, o Autor chamou o frentista, de jaleco branco, informando que seu veículo não havia sido abastecido.
Surpreso e aparentando certa apreensão com o informado pelo Autor, o frentista, de jaleco branco, imediatamente chamou outro funcionário do Posto, cujo nome é Omar, que trabalha no setor de Administração do Posto.
O Autor explicou o ocorrido ao funcionário Omar e, para sua surpresa, sem nem mesmo conhecer as condições do veículo, este funcionário emitiu um “parecer” de que havia um problema na bóia de combustível do veículo do Autor.
Muito surpreso com a resposta, o Autor, de imediato, informou que isso nunca havia ocorrido em seu veículo, e que provavelmente o problema não era esse apontado, mas sim na bomba de combustível do Posto.
O funcionário Omar, vendo que o Autor não era tão fácil de enrolar, foi chamar o provável gerente do Posto, cujo nome é Sérgio.
Novamente, o Autor explicou o ocorrido, contudo, esse tal Sérgio começou a se mostrar dono do local, querendo impor o seu pensamento e juízo próprio, tentando dominar a situação.
O Autor, ao perceber tal situação, pediu para que fosse abastecido o seu veículo em outra bomba de combustível do Posto, sendo inicialmente recusado pelos prepostos da Ré.
Para mais uma surpresa do Autor, os prepostos da Ré resolveram sacudir o seu veículo, pois alegavam que, fazendo isso, a bóia iria voltar para o lugar e o medidor iria marcar na posição correta, uma verdadeira vergonha, um absurdo.
Frise-se, Exa., que estes acontecimentos estavam ocorrendo na presença de outros funcionários do Posto, além de outros clientes presentes.
Após isso, o Autor pediu, novamente, para que abastecesse o veículo com mais R$ 30,00 de combustível, no entanto, o “gerente” do Posto, Sérgio, pediu para que o Autor não ficasse perto da bomba, que permanecesse olhando, tão somente, o medidor, enquanto o frentista, de jaleco branco, abastecia o veículo.
A partir daí, o Autor, que já suspeitava de que estava sendo ludibriado, começou a ter certeza.
Mais uma vez, o medidor de combustível não saiu do lugar, permanecendo inalterado, do jeito como chegou no Posto de Combustível da Ré, motivo pelo qual o Autor não efetuou o pagamento dos R$ 30,00.
Transtornado com a situação, o Autor tomou a decisão de ir a outro posto de combustível para realizar o abastecimento e constatar se, de fato, seu medidor estava marcando ou não a entrada de combustível no veículo, todavia, para total surpresa do Autor, o “gerente” Sérgio determinou que o autor não fosse abastecer em outro posto.
Em tal momento de todo esse imbróglio, o “gerente” Sérgio deu a garantia de que o veículo estava abastecido, ironizando que o Autor só ficaria na rua se fosse até São Paulo, chegando a devolver, inclusive, o valor de R$ 50,00 que o Autor havia desembolsado.
Apesar de toda a tentativa do “gerente” Sérgio, o Autor se dirigiu, no mesmo dia, a outro posto de combustível (Ipiranga), localizado na Rua Augusto de Vasconcelos, nº 1.290, Campo Grande, RJ, fazendo vir à tona o que já era óbvio, não havia problema algum com o medidor de combustível de seu veículo, conforme vemos abaixo.
Na imagem a seguir, temos a nota fiscal do posto de combustível Ipiranga, com a mesma data do dia do ocorrido, no valor de R$ 30,00.
Após o efetivo abastecimento, realizado no posto Ipiranga, o Autor retornou ao Posto de Combustível da Ré, esperando alguma resposta sincera, de arrependimento dos prepostos da Ré, contudo, a “cara de pau” destes indivíduos continuou a mesma, chegando, inclusive, a oferecer ao Autor que fosse completado o tanque, tendo sido prontamente recusado pelo Autor.
Insta informar, ainda, que o Autor efetuou uma denúncia junto a Agência Nacional de Petróleo (ANP), registrada sob o protocolo de nº 157667.
Por fim, esclarece o Autor que tem todo o ocorrido gravado em mídia, que segue em anexo, e roga a V. Exa. que ouça o contido na gravação, para que forme a convicção do Juízo, pois tal conduta merece total represália do Judiciário e das entidades competentes de fiscalização."
RESUMO DE TUDO:
Como eu abasteci R$ 80,00, com meu carro na reserva e, logo após, coloquei mais R$ 30,00 no outro posto próximo, e o ponteiro ficou abaixo da metade do medidor de combustível, posso dizer com certeza absoluta que era fraude.
Sendo assim, fiquem de olhos abertos, pq isso tá virando rotina nos postos de combustível.
Abraço!

 

Nesse caso nao há o que discutir...

 

Porem cada caso é um caso, no meu eu sabia que não era fraude pq abasteço nesse posto que fica a 1km da minha casa a uns 12 anos, sempre os mesmos funcionários, que nos cumprimentamos pelos nomes devido ao tempo que nos conhecemos.

Fiz vários testes antes de trocar o sensor de nível de combustível.

 

Acredito sim que de cada 10 postos uns 6 praticam essa fraude, isso acontece pq só fazem fiscalizações quando acontece um fato e a mídia vai em cima e passa em rede nacional, ai 1 semana todos falam, comentam, vão fiscais fazer os testes, fecham alguns postos ( como aconteceu aqui em Curitiba ), ai depois a poeira abaixa e começa tudo de novo...

 

Edited by Eduardo Labegalini

Share this post


Link to post
Share on other sites

Já aconteceu a mesma coisa comigo, em um posto Shell. Vou colocar abaixo o teor da petição que fiz para ajuizar no JEC:

 

"O Autor, em 05.10.2013, por volta das 18h, foi abastecer o seu veículo no Posto de Combustível da Ré (Estrada do Monteiro, nº 1.697, Campo Grande, RJ), pois estava com o tanque vazio, na reserva, contudo, não esperava que algo inusitado e de extrema gravidade fosse acontecer, como poderemos constatar adiante.

 

Inicialmente, é de suma importância mostrar uma notícia veiculada na mídia, sobre fraude nas bombas de combustível, em várias partes do país, conforme vemos na imagem abaixo.

 

 

Pois bem, esta é uma notícia que foi veiculada em vários canais de comunicação, cujo sistema de fraude, com acionamento eletrônico, faz a leitura da quantidade de combustível fornecida no mostrador em desconformidade com a quantidade de combustível efetivamente entregue.

 

Dando continuidade aos fatos, o Autor, ao chegar no Posto de Combustível da Ré, foi recepcionado por uma frentista, contudo, sem entender o motivo, outro frentista, de jaleco branco, pediu para a sua colega de trabalho ir atender outro cliente, dizendo que faria o abastecimento do veículo do Autor.

 

Mostrando-se muito solícito, o frentista, de jaleco branco, pediu para que o Autor levantasse os vidros, pois iria jogar uma água no veículo, enquanto abastecia o tanque de combustível com o valor solicitado, qual seja, R$ 50,00.

 

Feito o abastecimento, o Autor realizou o pagamento no valor de R$ 50,00, conforme documento abaixo.

 

 

O Autor, retornando ao veículo, ao virar a chave, teve uma surpresa, constatou que o medidor de combustível do seu veículo estava marcando a mesma quantidade de quando chegou ao Posto, ou seja, estava na reserva.

 

Estranhando a marcação, pois nunca havia ocorrido isso, o Autor chamou o frentista, de jaleco branco, informando que seu veículo não havia sido abastecido.

 

Surpreso e aparentando certa apreensão com o informado pelo Autor, o frentista, de jaleco branco, imediatamente chamou outro funcionário do Posto, cujo nome é Omar, que trabalha no setor de Administração do Posto.

 

O Autor explicou o ocorrido ao funcionário Omar e, para sua surpresa, sem nem mesmo conhecer as condições do veículo, este funcionário emitiu um “parecer” de que havia um problema na bóia de combustível do veículo do Autor.

 

Muito surpreso com a resposta, o Autor, de imediato, informou que isso nunca havia ocorrido em seu veículo, e que provavelmente o problema não era esse apontado, mas sim na bomba de combustível do Posto.

 

O funcionário Omar, vendo que o Autor não era tão fácil de enrolar, foi chamar o provável gerente do Posto, cujo nome é Sérgio.

 

Novamente, o Autor explicou o ocorrido, contudo, esse tal Sérgio começou a se mostrar dono do local, querendo impor o seu pensamento e juízo próprio, tentando dominar a situação.

 

O Autor, ao perceber tal situação, pediu para que fosse abastecido o seu veículo em outra bomba de combustível do Posto, sendo inicialmente recusado pelos prepostos da Ré.

 

Para mais uma surpresa do Autor, os prepostos da Ré resolveram sacudir o seu veículo, pois alegavam que, fazendo isso, a bóia iria voltar para o lugar e o medidor iria marcar na posição correta, uma verdadeira vergonha, um absurdo.

 

Frise-se, Exa., que estes acontecimentos estavam ocorrendo na presença de outros funcionários do Posto, além de outros clientes presentes.

 

Após isso, o Autor pediu, novamente, para que abastecesse o veículo com mais R$ 30,00 de combustível, no entanto, o “gerente” do Posto, Sérgio, pediu para que o Autor não ficasse perto da bomba, que permanecesse olhando, tão somente, o medidor, enquanto o frentista, de jaleco branco, abastecia o veículo.

 

A partir daí, o Autor, que já suspeitava de que estava sendo ludibriado, começou a ter certeza.

 

Mais uma vez, o medidor de combustível não saiu do lugar, permanecendo inalterado, do jeito como chegou no Posto de Combustível da Ré, motivo pelo qual o Autor não efetuou o pagamento dos R$ 30,00.

 

Transtornado com a situação, o Autor tomou a decisão de ir a outro posto de combustível para realizar o abastecimento e constatar se, de fato, seu medidor estava marcando ou não a entrada de combustível no veículo, todavia, para total surpresa do Autor, o “gerente” Sérgio determinou que o autor não fosse abastecer em outro posto.

 

Em tal momento de todo esse imbróglio, o “gerente” Sérgio deu a garantia de que o veículo estava abastecido, ironizando que o Autor só ficaria na rua se fosse até São Paulo, chegando a devolver, inclusive, o valor de R$ 50,00 que o Autor havia desembolsado.

 

Apesar de toda a tentativa do “gerente” Sérgio, o Autor se dirigiu, no mesmo dia, a outro posto de combustível (Ipiranga), localizado na Rua Augusto de Vasconcelos, nº 1.290, Campo Grande, RJ, fazendo vir à tona o que já era óbvio, não havia problema algum com o medidor de combustível de seu veículo, conforme vemos abaixo.

 

Na imagem a seguir, temos a nota fiscal do posto de combustível Ipiranga, com a mesma data do dia do ocorrido, no valor de R$ 30,00.

 

 

Após o efetivo abastecimento, realizado no posto Ipiranga, o Autor retornou ao Posto de Combustível da Ré, esperando alguma resposta sincera, de arrependimento dos prepostos da Ré, contudo, a “cara de pau” destes indivíduos continuou a mesma, chegando, inclusive, a oferecer ao Autor que fosse completado o tanque, tendo sido prontamente recusado pelo Autor.

 

Insta informar, ainda, que o Autor efetuou uma denúncia junto a Agência Nacional de Petróleo (ANP), registrada sob o protocolo de nº 157667.

 

Por fim, esclarece o Autor que tem todo o ocorrido gravado em mídia, que segue em anexo, e roga a V. Exa. que ouça o contido na gravação, para que forme a convicção do Juízo, pois tal conduta merece total represália do Judiciário e das entidades competentes de fiscalização."

 

 

RESUMO DE TUDO:

 

Como eu abasteci R$ 80,00, com meu carro na reserva e, logo após, coloquei mais R$ 30,00 no outro posto próximo, e o ponteiro ficou abaixo da metade do medidor de combustível, posso dizer com certeza absoluta que era fraude.

 

Sendo assim, fiquem de olhos abertos, pq isso tá virando rotina nos postos de combustível.

 

Abraço!

 

Vix cara vão dizer aqui que é normal é problema no seu carro.. Kkk, enfim Realmente cada caso é um caso, Bacana o que você fez cara tem que ir mesmo atrás do seus direitos, é muita pilantragem por ai, se acontecer CMG novamente vou andar na reserva como se tivesse mesmo abastecido normal pra confirmar se de fato é o carro.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se eu colocar menos de 30 o ponteiro nem mexe. E acho até melhor que funcione assim, pois dessa forma o sensor não faz leitura indevida, como em ladeiras por exemplo.

 

E de uns meses pra cá ele não reconhece o abastecimento de cara, tipo só depois de um tempo. Às vezes encho o tanque e ele só reconhece 3/4, preciso dar uma olhada nisso.

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

E sobre os trambiques, já passei por algumas coisas também.

 

Certa vez, meu tanque tinha acabado de entrar na reserva e fui completar. Deu incríveis 47 litros! E isso sem aquele chorinho que os caras costumam pôr. Nunca mais voltei nesse posto.

 

E descobri esses dias que o posto que eu sempre achei confiável ta supostamente com a gasola batizada. Fui fazer limpeza de bico e o cara me perguntou onde eu abastecia, porque a gasolina não tava muito legal (sei lá como ele testou isso). Vou mudar de posto e ver se o cara tava certo ou não.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom vou contar uma situação curiosa que aconteceu sábado passado.

Eu tinha no carro um quarto de gasolina e estava indo pra casa da minha namorada, 70 km de distância, ai fui no posto abastecer, pedi pra colocar 20 reais de gasolina, com a gasolina a 3,20 deu 6 litros e pouquinho, paguei e tal, ai quando fui dar partida no carro notei que o ponteiro estava no mesmo lugar, eu comentei com o frentista e tal, ai ele me mostrou na bomba que tinha abastecido os 6 litros, eu vi o cara abastecendo inclusive, ele disse então que o ponteiro de combustível do carro estava travado.. como eu tinha acabado de buscar o carro no mecânico acreditei e fui embora, no caminho eu vejo o ponteiro descendo, cheguei na minha namorada com a luz acesa da reserva.. ai na volta fui em outro posto abasteci 30 reais e o ponteiro foi quase lá no meio kkkk, ou seja galera ou colocaram ar no meu tanque, ou água sei la, além disso o carro engasgou pra porra... Meu eu fiquei muito revoltado, voltei no posto meia noite e pouco mas nada consegui, fizeram um teste na bomba e etc e me disseram pra falar com o gerente mas ele não estava lá... Como é que pode uma coisa dessas? Rede Ipiranga na frente de um shopping.. e conversando com uma galera um rapaz disse que aconteceu a mesma coisa nesse posto... é o fim da picada... fiquem em alerta galera.. eu queria denunciar, sei la fazer alguma coisa, mas da até medo dessa bandidagem.

Cara e se eu te contar que aconteceu o mesmo com o meu 207

quando abasteci com gasolina alem do carro nem pegar de manha, sério com gasolina não pegou, foi pior que o alcool (isso que rodei mais de 15Km antes de desligar), ainda o marcador ficou doido

voltei pro alcool e continuou doido o marcador, tive que voltar pro meu outro posto e abastecer com alcool lá, pronto, o marcador voltou ao normal e o carro ta liso

 

Rede Ipiranga também

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por essas e outras que só ando de tanque cheio.

Possuo absoluto controle sobre a quantidade que possa estar alí dentro.

 

Esse costume de colocar pouca quantidade abre uma possibilidade interessante para os malandros de plantão

Share this post


Link to post
Share on other sites

Então....além de cobrarem caro por combustíveis adulterados, os postos costumam colocam menos do que eles cobram, antes daquela lei entrar em vigor(proibido pegar gasolina em garrafas), enchi uma garrafa de dois litros em um posto de Duque de Caxias, na Itatiaia, não lembro o nome, o que sei é que a garrafa de dois litros encheu e na bomba marcava 2 litros e 300 mL, ou seja, a cada litro colocado, cobravam mais 150 mL por algo que não chegava no seu tanque.

 

No C4 se eu colocasse abaixo de 40 reais, o ponteiro sequer mexia, prefiro colocar sempre 50 ou 100 reais pois sei mais ou menos até onde o ponteiro deve ficar, ahh, vale lembrar de desligar o carro ao fazer o abastecimento, semana passada coloquei 150 reais de Shell Nitro + com o carro ligado(dei a chave reserva para abrir o bocal de abastecimento) e o marcador continuou próximo da reserva, só no dia seguinte que ele passou a marcar tanque cheio.Fiquei com medo de ter dado algum problema, nem vou mais deixar o carro ligado ao abastecer.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por essas e outras que só ando de tanque cheio.

Possuo absoluto controle sobre a quantidade que possa estar alí dentro.

 

Esse costume de colocar pouca quantidade abre uma possibilidade interessante para os malandros de plantão

Pois é, eu também só faço abastecimento completo. Facilita pra observar o comportamento do marcador de combustível, ajuda a inibir trambicagem, e possibilita calcular o consumo com mais exatidão - o que também ajuda a identificar um eventual posto picareta.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

×